In

Rodrigo Gomes

Rodrigo Gomes (Faro, 1991), vive e trabalha em Lisboa.

Mestrado em Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, pós-graduação em Arte Sonora na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015-2016), Licenciatura em Arte Multimédia com especificação em Escultura na Universidade de Évora (2012-2015).
Em outubro de 2019 irá participar no Satellite Art Show, em Nova Iorque, com o trabalho “Jardim Ultravioleta”. Em maio deste ano, participou com a mesma obra na 18ª Bienal de Media Art WRO 2019, em Wroclaw, Polónia.
Realçam-se as suas exposições individuais “Mamografias por Satélite”, no The Room, Lisboa (2019) e “Como depositar imagens no banco”, na Appleton [BOX] (2018). 


Participou nas seguintes exposições coletivas: “Maker Art – The New Art Fest’18”, na Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa (2018); FUSO – Anual de vídeo arte, Lisboa (2018); no prémio SONAE Media Art, no Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado (2017); “Viga Goiva Maço”, na Galeria Quadrum (2017); Mostra (2017) e “Festival Múltiplo”, na Zaratan (2016).


Co-fundou o Núcleo de Artes Visuais de Évora, na Escola de Artes da Universidade de Évora (2013) e co-criou a Galeria T10 (2014), na mesma instituição. Produziu concertos multimédia, tais como no Festival da Pedreira dos Sons, com a Orquestra Sinfónica da Universidade de Évora (2014) e no projeto coletivo de vjing e videomapping de música eletrónica “Dejavú”, com Fábio de Carvalho (2014-2015). Participou na residência artística RésVés na aldeia de Alte (2016), “Utopia” nas Oficinas do Convento de Montemor-o-Novo (2015) e LUZ3 na Aldeia da Luz (2013).
Em 2017 ganhou o “Prémio Sonae Media Art” e em 2018 o “Prémios Novos – Categoria Artes Plásticas”. Em 2019 é bolseiro à internacionalização artística pela Fundação Calouste Gulbenkian e recebeu a Distinção de Mérito Municipal – Prémio Jovem Revelação, pela Câmara Municipal de Silves.
O seu trabalho encontra-se representado na coleção do MNAC-Museu do Chiado, na coleção Figueiredo Ribeiro e noutras coleções particulares.

Sonaura, 2017

Espelho acrílico, acrílico transparente, metal, vídeo, cor, som, loop. 8 x 120 x 46 cm

False Color Artifact, 2016

Acrílico, vídeo, cor, som mono, loop. 5 x 15 x 20 cm

Jardim Ultravioleta, 2018

Vídeo (HD), cor, som, 02’31’

Dataphonic, 2016

Madeira, tubos de acrílico, silicone, vídeo, cor, som mono, loop. 50 x 150 x 140 cm

Collateral Murderer, 2018

Tubo de acrílico, acrílico termomoldável, tripé, 03:31’, vídeo HD, cor, estéreo
Dimensões variáveis

Estivador de Imagens, 2017

Protejo para o prémio Sonae Media Art, MNAC
4 espelhos, 4 tubos de acrílico, chapa de acrílico, 4 altifalantes, vídeo (HD), cor, som espacializado, 11’59’
300 x 300 x 210 cm

Flatland, 2018

Espelho acrílico, bola de cristal, led. 51 x 50 x 12 cm